Postagens populares

terça-feira, 19 de abril de 2011

"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é condenado; o que não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus."  (João 3:16-18)


Não é difícil ver por que o versículo 16 é um dos mais famosos, mais frequentemente memorizado e um dos mais queridos versículos da Bíblia. Embalado neste versículo há as maiores realidades que existem. Deus. Amor. O mundo. O Filho de Deus. Fé. Perecer para sempre. Vida eterna. Todo aquele – você, ou não. Essas são as maiores coisas que pode existir. O que poderia ser mais importante? O que poderia ser mais relevante para você agora? O que poderia ser mais urgente para você ou mais grave para você do que saber onde você está em relação ao que Deus lhe diz nesse versículo?



Então aqui está o que eu creio que nós deveríamos fazer com João 3:16. Hoje vamos caminhar por ele de uma vez, parando sobre cada uma das grandes palavras (exceto “amou”) e comentando sobre cada uma delas: Deus, Mundo, Deu, Filho, Crer, Pereça, Vida. E buscaremos aplicar isso a nós mesmos à medida em que avançarmos. Então, na próxima semana, se Deus quiser, voltaremos e dedicaremos toda uma mensagem para a grande palavra sobre a qual passamos hoje, a saber, a palavra “amou” - "Porque Deus amou de tal maneira...".

A Tensão em João 3


Nos perguntaremos, Como Deus nos amou nessa passagem? Como o amor de Deus pelo mundo no versículo 16 se relaciona à obra do Espírito de Deus no versículo 8? Parece haver uma tensão aqui. Muitos a sentem, e muitas pessoas tentam eliminar a tensão de uma forma que desonra o significado ou do versículo 8 ou do versículo 16.

Por um lado, o versículo 8 diz que Deus, o Espírito, sopra onde quer e faz viver quem Ele escolhe. " O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito.” Deus é livre. E é Ele, e não nós, que tem a palavra final e decisiva sobre quem, dentre os rebeldes e espiritualmente mortos, ressuscitará para uma nova vida. Nenhum de nós merece ser vivificado. E nenhum de nós tem o poder de fazer isso acontecer. Se alguém é salvo, Deus fez isso.

Mas por outro lado, João 3:16 diz: “Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Isto certamente significa que Deus ama a todos e oferece a todos a vida eterna - a própria vida que o Espírito dá no versículo 8.

Isso é o que tentaremos entender na próxima semana. E eu indicarei a vocês que eu tenho sido muito ajudado pelo livro “A Díficil Doutrina do Amor de Deus”de Don Carson. São menos de 90 páginas. É compreensível e muito bom. Espero que muitos de vocês o leiam.


Sete Maciças Realidades em João 3:16


Mas primeiro, há coisas grandes e terríveis para serem clarificadas nesse versículo. Sete palavras maciçamente importantes - representando sete grandes realidades - que precisamos entender para que o poder e a preciosidade desse famoso versículo possa ter seu efeito completo. E  oh, como eu espero que vocês crentes de Bethlehem saibam que esse versículo fundamental não é apenas para principiantes. É de alto nível, uma terapia de choque de alta voltagem para conflitos conjugais, conflitos individuais e conflitos adolescentes.

Então, primeiro, vamos às sete grandes palavras no versículo 16.


1. Deus


"Porque Deus amou de tal maneira. . . ". 

Não há nenhuma razão para pensar que Jesus queria dizer qualquer outro Deus senão o Deus do Antigo Testamento. Ele é o Todo-Poderoso Criador e Sustentador do universo. Ele é pessoal e não uma mera força, o que quer dizer que Ele pensa, deseja e sente. Ele ama e odeia. E como pessoal, Ele é moral, isto é, Ele lida conosco em termos de certo e errado, bom e mau. E, como moral, Ele é inabalávelmente justo. Ele só faz o que é certo. E o infinito valor do que Ele é define o que é certo. Fazer o que é certo é pensar, sentir e agir de uma maneira que esteja em consonância com (em harmonia com) o valor infinito de Deus.

Todos nós fomos feitos por esse Deus, e nosso primeiro e maior dever e razão de ser é honrá-lo e lhe dar graças (Romanos 1:21). Todos nós falhamos e todos nós estamos sob seu justo desprazer. Isso é o que faz João 3:16 tão necessário e precioso. Ele descreve a maneira como Deus está agindo para nos resgatar desta condição.


2. Mundo


"Porque Deus amou o mundo de tal maneira. . . " 

O significado mais comum para o mundo em João é a totalidade da humanidade criada e caída. João 7:7: "Não pode o mundo odiar-vos, mas a mim me odeia, porque eu dou testemunho a seu respeito de que as suas obras são más".  João 14:17: ". . . o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece".

Essa é a maneira como João está usando “mundo” aqui. É a grande massa da humanidade caída que necessita de salvação. É o incontável número de pessoas perecendo para quem vem o "todo aquele" na segunda parte do versículo: ". . .para que todo aquele que Nele crê não pereça". O mundo é o grande oceano de pecadores perecendo para quem vem o “todo aquele”.


3. Deu


"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu. . . ". 

Duas coisas precisam ser ditas sobre esta dádiva. Uma delas é que é uma dádiva do céu. E a outra é que essa é uma dádiva não apenas para vir à Terra, mas para morrer. O verso 17 substitui a palavra “deu” com “enviar”. "Pois Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele". Assim, a dádiva do versículo 16 é Deus enviando seu Filho ao mundo em uma missão do céu.

Em João 10:17-18, nós vemos qual é o clímax dessa missão do Pai. Jesus diz: "Por isso, o Pai me ama, porque eu dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e também para reavê-la. Este mandato recebi de meu Pai.” Esta última frase mostra que a razão pela qual o Pai enviou seu Filho foi para que o Filho desse Sua vida. "Eu a dou por minha própria vontade. . . . Este mandato recebi de meu pai. "

Assim, quando João 3:16 diz: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu. . . ", essa dádiva é Deus enviando seu Filho ao mundo em uma missão para morrer. Isso é tão incrível - só que um milhão de vezes mais - como se você dissesse a seu filho: "Há algo que eu quero que você faça para mim: eu tenho alguns inimigos que merecem morrer, e quero que você vá e morra no lugar deles, para que eles possam ter a vida eterna". O que quer que você saiba sobre Deus, tenha certeza que você sabe que Ele é assim.


4. Filho


"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito . . " 

Muçulmanos e outros tropeçam sobre a idéia de Deus ter um filho. Então deixe-me dizer algumas coisas que são claras como cristal no Evangelho de João, apesar de misteriosas. Deus não teve relações sexuais com Maria a fim de ter um filho. Volte ao capítulo 1, onde João nos dá nossa compreensão básica do Filho de Deus.

João 1:1: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." Então, aqui nós somos introduzidos ao Verbo. E nos é dito três coisas sobre ele. Um: ele é Deus. "O Verbo era Deus.” Dois: ele está com Deus e, portanto, é distinto de Deus. "O Verbo estava com Deus." E em terceiro lugar: ele era, portanto, sempre existiu e nunca veio a ser. "No princípio era o Verbo."

Então veja o versículo 14: "E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai". Este versículo esclarece três coisas para nós.

Primeiro: a Palavra de Deus a que se refere no versículo 1 é o Filho de Deus. "O Verbo se fez carne e. . . vimos a sua glória, glória como do unigênito Filho. . . ".

Em segundo lugar: Deus, com quem era a Palavra, e de quem é distinta, é Deus, o Pai. Ele é "o Filho unigênito do Pai". "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus". Ele estava com Deus, o Pai.

Em terceiro lugar, portanto, Jesus é o Filho de Deus não porque o Pai teve relações sexuais com Maria, mas porque o Filho sempre existiu, sem começo, como "o resplendor da glória de Deus e expressão exata do Seu ser" (Hebreus 1:3). Ele é plenamente Deus. E o Pai é plenamente Deus. E junto com Deus, o Espírito, eles são um só Deus, uma natureza divina. Uma essência e três pessoas em uma eterna relação de perfeita alegria.


5. Crer


"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho únigenito, para que todo aquele que crê. . . " 

Quatro observações sobre essa fé:

Em primeiro lugar, isso significa que nem todos serão beneficiados do que Jesus veio fazer. Mas "todo aquele que Nele crê não perecerá, mas tem a vida eterna." O resto perecerá - e não terá vida eterna.

Em segundo lugar, a própria palavra significa abraçar algo como verdadeiro; e quando esse algo é uma pessoa, isso significa confiar que eles sejam o que são e que fazem o que dizem.

Em terceiro lugar, João 1:11-12 mostra que uma outra palavra que João tem em mente para explicar crer é receber. "[Jesus] veio para os seus, e os seus não o receberam. Mas a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus". Então receber a Jesus e crer em Jesus se explicam mutuamente.

Em quarto lugar, se perguntarmos: "Recebê-lo como o que?" a resposta seria: " Recebê-lo como o que Ele é". Por exemplo, em João 6:35, Jesus diz: "Eu sou o pão da vida; quem vier a a mim não terá fome e quem crê em mim jamais terá sede". Então, aqui crer significa vir a Jesus e receber a ele como o alimento e a bebida que satisfaz nossas almas. Essa é uma das razões de eu falar sobre recebê-lo como nosso tesouro (Mateus 13:44). E é por isso que a fé é tão transformadora.


6. Perecer


"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho únigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça. . . " 

O que é mais claro e mais importante é ver que perecer é a alternativa para a vida eterna - ". . . não pereça, mas tenha a vida eterna". Portanto, se você perecer, você não tem a vida eterna.

Outra coisa que é claro aqui é que o versículo 18 descreve perecer como ser condenado. "Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado." E isso significa que a sentença judicial da ira de Deus está em nós como pecadores e permanece sobre nós. Vemos isso em João 3:36: "Quem crê no Filho tem a vida eterna, mas quem não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus permanece sobre ele." Assim, nós já estamos sob condenação por causa do nosso pecado e incredulidade. E perecer significa permanecer lá para sempre sob a ira de Deus. Não há nada que você possa imaginar pior do que o Deus onipotente se opor a você com justa ira para sempre. Isso é o que significa perecer.


7. Vida


"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho únigenito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." 

Isto não significa simplesmente que você existirá para sempre. Todo mundo existirá para sempre. Mas nem todo mundo terá a vida eterna. Esta vida é primeiro aquela na qual nascemos de novo e temos vida espiritual. Nós sabemos de João 6:63 que "é o Espírito que dá vida." E nós sabemos de 1 João 5:11 que "esta vida está no Filho[de Deus]". Esta é a vida para Deus - vida que pode ver e saborear Deus como cheio de glória e toda Sua criação o modo como Ele a exprimiu para ser desfrutado.

Então o que acontece em nossa fé é que, por meio da fé, o Espírito Santo está nos unindo a Cristo em quem está a vida. E nesse instante, somos nascidos de novo, nós cremos, somos unidos com o Filho de Deus, e temos Sua vida.

E porque essa é a vida do Filho de Deus, ela dura para sempre. "Eu sou a ressurreição e a vida", disse Jesus: "Quem crê em mim, ainda que morra, viverá e todo aquele que vive e crê em mim não morrerá eternamente" (João 11:25-26).


Jesus Dá a Vida - E Morre em Nosso Lugar


E, neste ponto, não se esqueça que vimos sob a palavra “deu” -"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu. . . " Significando deu para morrer. Nós não perecemos sob a ira de Deus, porque Jesus morreu em nosso lugar sob a ira de Deus. Ele foi "o Cordeiro de Deus", o sacrifício dado em nosso lugar, que carregou nossos pecados e nossa punição (João 1:29, 36).

Então nós temos a vida eterna tanto porque Cristo morreu em nosso lugar quanto porque Nele está a vida. Ele remove o grande obstáculo da ira de Deus, e fornece a vida eterna que não temos em nós mesmos.


Esta é sua vida?


O que deixa apenas uma pergunta: Você vive no perdão, na vida e na liberdade de João 3:16? Você está livre do medo da morte? A maravilha de ser amado dessa forma molda seus relacionamentos? Eu não estou perguntando se você sabe de cor esse versículo. Eu estou perguntando se você o vive. Esta é a sua vida? Tudo que você faz é permeado com esse versículo?

Que Deus lhe conceda essa fé. Creia nessa promessa de João 3:16. Receba o tesouro de Cristo - e a vida.


0 comentários:

Postar um comentário

Loading...